Transgeneridade é um transtorno mental, afirma médico norte-americano

Dr. Paul R. McHugh, ex-chefe da ala de psiquiatra do Hospital John Hopkins, em Baltimore, disse que a transexualidade é um transtorno mental que merece tratamento, e que a mudança de sexo é biologicamente impossível. O médico disse que as pessoas que promovem a cirurgia de redesignação sexual estão colaborando e promovendo uma desordem mental.

hqdefault

Dr. McHugh, autor de seis livros e pelo menos 125 artigos médicos, fez essas afirmações em um comentário recente no Wall Street Journal, onde explicou que a cirurgia transexual não é a solução para as pessoas que sofrem dessa desordem – a noção de que a sua masculinidade ou feminilidade é diferente do que a natureza lhes atribuiu biologicamente.

Ele também falou sobre um novo estudo que mostra que a taxa de suicídio entre pessoas transexuais que fizeram a cirurgia de redesignação é 20 vezes maior do que a taxa de suicídio entre os não-transexuais. Dr. McHugh ainda mencionou que estudos da Universidade de Vanderbilt e da Portman Clinic, de Londres, observaram algumas crianças que haviam demonstrado comportamentos transexuais. Ao longo do tempo, de 70% a 80% dessas crianças deixaram espontaneamente esses comportamentos.

Enquanto o governo Obama, Hollywood e grandes meios de comunicação, como a revista Time, promovem o fenômeno transgênero como algo normal, disse o Dr. McHugh, “os legisladores e os meios de comunicação prestam um desfavor ao público e às pessoas transgêneras tratando suas confusões como um direito que precisa ser defendido e não como um transtorno mental que necessita de compreensão, tratamento e prevenção”.

Segundo o médico, a desordem do transgênero consiste na “suposição” de que eles são diferentes da realidade física de seu corpo, da sua masculinidade ou feminilidade, conforme atribuído pela natureza. É uma doença semelhante à de uma pessoa extremamente magra que sofre de anorexia, que se olha no espelho e pensa que está acima do peso.

Esta suposição de que o gênero é apenas uma condição mental, desprezando a anatomia, tem levado algumas pessoas transexuais a requerer que a sociedade aceite essa “verdade pessoal” subjetiva, disse o Dr. McHugh. Como resultado, alguns estados – Califórnia, New Jersey e Massachusetts – aprovaram leis barrando psiquiatras, mesmo com a autorização dos pais, de se esforçarem para restaurar os sentimentos de gênero naturais a um menor transgênero.

Os ativistas da causa transgênero não querem saber dos estudos que mostram que entre 70% e 80% das crianças que expressam sentimentos transexuais perdem espontaneamente esses sentimentos ao longo do tempo. Além disso, dos que fizeram a cirurgia de redesignação sexual, a maioria disse estar “satisfeita” com a operação, mas suas condições psico-sociais posteriores não são melhores do que aqueles que não fizeram a cirurgia.

“Assim, o Hospital Hopkins parou de fazer a cirurgia de redesignação sexual, uma vez que um paciente “satisfeito ” mas ainda perturbado parecia uma razão inadequada para amputar cirurgicamente os órgãos normais” disse o Dr. McHugh.

ncb

O ex-chefe do hospital também alertou contra permitir ou incentivar certos subgrupos, tais como os jovens, suscetíveis a apologia do “tudo é normal” presente na educação sexual, e aos “gurus da diversidade” que habitam as escolas, que, como “líderes culturais”, podem incentivar estes jovens a se distanciar de suas famílias e oferecer conselhos sobre como rebater argumentos contrários à cirurgia transexual.

 

“Mudança de sexo é biologicamente impossível”, disse McHugh. “As pessoas que se submetem à cirurgia de redesignação de sexo não mudam de homens para mulheres ou vice-versa. Em vez disso, eles se tornam homens feminilizados ou mulheres masculinizadas. Alegar que isso é uma questão de direitos civis e encorajar a intervenção cirúrgica é, na realidade, promover um transtorno mental.”

Fonte: CNSNews

Anúncios

68 comentários sobre “Transgeneridade é um transtorno mental, afirma médico norte-americano

    • Uma pessoa trangenera nasce com a mente desassociada ao corpo ,neste caso pra eles o corpo é errado, mas se o cerebro entende que está sempre doente “hipocondriaco” ai é o cerebro quem está errado ,Estranho né!

      Curtir

  1. Uau!!! Gostaria de saber quantos cientistas e médicos “concordam” com a convicção do Dr. MacHug…Parece que, dotado de preconceito contra as pessoas transgêneros, Parece que está calcando sua opinião pessoal em “bases teóricas” que favorecem o seu ponto de vista pessoal…
    Custo a crer que pessoas intelectualmente preparadas, usem de seus “conhecimentos técnicos” para tornar a vida de determinadas “populações” mais infeliz e difícil…
    Me lembra muito a forma de agir do Lula. Cria a desarmonia entre grupos, mas finge tentar harmonizar o que confrontou… Quando é que o ser humano vai aprender a respeitar as diferenças? Quando vai permitir a felicidade aos diferentes de si mesmo?

    Curtido por 1 pessoa

    • Elza esse entendimento do Dr MacHug é bem antigo. Acho que vc deveria procurar pelos dados da pesquisa citada, que diz que 80% dos cidadãos com comportamento homossexual o deixa naturalmente. Essa pesquisa é muito importante e é base para as colocações do Dr. Vc esta sendo preconceituosa quanto a pesquisa, simplesmente porque ela é contra seu ponto de vista. As vezes por vc ser homossexual ou envolvida em causas ideológicas, dai sua opinião fica comprometida.

      Você poderia ainda ser um pouco mais inteligente ou reler o texto, onde ele explica que o numero de suicidios entre homossexuais que fizeram cirurgia é 20 vezes maior e que aqueles que fizeram e que não se mataram não melhoraram seu índice de “felicidade”.

      Como seu argumento é “permitir felicidade”, ele cai por terra completamente por o alto índice de suicídio e a falta de melhoria mostram que apoiar esse comportamento é PIOR, mantém a pessoa infeliz e a leva ao suicídio.

      O texto é muito claro, leia novamente. Mas, caso vc seja homossexual, procure um médico.

      Curtir

    • Eu não observei nada de preconceito na convicção do Dr. MacHug, entendí que ele toma como base Dados Científicos e ele está capacitado para essa opinião.

      Curtir

    • Mas o quê Lula tem a ver com a opção sexual das pessoas? Qual o objetivo de cita-lo nesse assunto? Dar audiência ao mesmo? Porque aqui pra nos, seguindo conceito de seja para o bem ao mal, falem de mim. Parece funcionar, porque as pessoas perdem tempo em cita-lo em todo o tipo de coisa. Até comercial de margarina! Que falta de criatividade!

      Curtir

    • É tudo DOENÇA!!! Gays, transgêneros, e tudo que erra o alvo na experiência fora da esfera homem/mulher. Saíram da lista de doenças mentais numa votação subjetiva sem nenhuma base cientifica e hoje ficam bancando de gente sã.

      Curtir

      • Edimar, vc é uma lástima! Um ser humano desprezível que nada ajuda! Vc fere e vc é realmente desprezível! Dó de quem o cerca! Difícil deve ser acordar de manhã e se encarar no espelho!

        Curtir

      • doença? por acaso é contagioso ou alguém “pega” a homossexualidade? claro q n. Problema mental? quero ver registros q provem q quem é gay/bi tem transtornos ou problemas mentais. E só pra vc saber, quem é gay n deixa de ser homem, biologicamente continua homem e a pessoa continua se considerando homem, ela só se sente atraída pelo msm sexo, isso n muda em nd a mente ou a sanidade dela.
        esse texto pode até “provar” que ser trans é sinônimo de transtorno mental, mas n concordo com metade dos “dados científicos” e bases usadas pra suportar essa tese
        vc pode discordar de mim, oq é super normal, mas oq deve prevalecer entre tds as relações humanas é o RESPEITO então pare de julgar e ofender os outros

        Curtir

    • É de chorar de rir, vc vem apontando preconceito enquanto o pratica; e acusa-lo de ter “bases teóricas”é hilário, visto que os que defendem o contrário se firmam em “teorias e achismos”, diferente do Dr.MacHug que cita dados e estatísticas de fontes que possuem credibilidade internacional!

      Lembre-se querida, amar nem sempre é permitir, querer a felicidde alheia não se tratuz em aplaudir tudo, o amor repreende, corrigi e confronta!

      Curtir

    • Pelo que li ele está apoiando seu parecer em dados sólidos com percentuais elevadíssimos.
      Uma coisa é vc achar que aquilo é normal outra coisa é vc provar.
      Quero que apresentem alguma matéria que conteste a tese com dados reais como ele apresentou.
      Deixa de falar asneiras e vai catar caquinhos

      Curtir

      • Sim, também concordo. Tanto um comportamento quanto outro são no mínimo distúrbios, desvio psicológico das funções normais do corpo. Veja a homossexualidade: duas vaginas não são biologicamente compatíveis. Um pênis e um ânus também não. O canal retal não é projetado senão para excretar fezes e gases. Tal canal é desprovido até mesmo da lubrificação natural e suas membranas são frágeis e facilmente danificadas. Afirmar que acoplar pênis e ânus seja algo normal e funcional é a mesma coisa que alguém achar normal se alimentar enfiando a colher ou garfo com alimentos através do ouvido. Mudança de sexo é realmente impossível, e gays e trans se aborrecem com isso é passam a criar uma fantasia de identidade de gênero onde tudo é construção social e a pessoa pode se iludir de que ela é o que quiser. O Estado e até o Direito são vergonhosamente reféns dessa fantasia irresponsável e a endossa.

        Curtir

      • Voce já teve?? Ou tem???? Porque acho que para de determinar assim tao categoricamente que é doença, sópassando por isso……

        Curtir

      • Também concordo que seja transtorno. E deve ser tratado. Por exemplo uma pessoa que bebe além do limite não reconhece precisar de ajuda por que tem prazer ao beber e toda vez bebe mais e não aceita ajuda até que reconheça seu problema. Este é m desvio de comportamento que deve ser tratado mas só pode receber ajuda ao reconhecer que precisa. Como a psicologia e outras classes médicas dizem ser normal, impedem maiores pesquisas. Pois consideram preconceito e sentem se agredidos quando algum pesquisador como o Dr. Em pauta tras suas pesquisas a público. Mas ninguem esta agredindo ou descriminando a ciência deve seguir estudando,pois assim como tem pessoas que sentem se felizes por assumir sua homossexualidade existem muitas pessoas que sofrem e gostariam de receber tratamento. Porém este tratamento aqui no Brasil por exemplo é proibido. Uma psicologa em São Paulo teve seu diploma cassado por tratar de homossexuais que sofriam e gostariam de assumir o gênero que nasceram. Mas estes não são livres para buscar tratamento. Por quê a ciência esta sendo taxada de preconceituosa. Imagina se a pesquisa para a cura do câncer fosse impedida e taxada de preconceituosa? Reflitam!

        Curtir

  2. Bem, como se trata de um transtorno mental e que possa ser resolvido pela psiquiatria, que se fossem aplicadas todos os recursos científicos sobre o caso, antes de se fazer uma intervenção cirúrgica para a troca de sexo, mediante remoção de órgãos naturais e se efetuando uma transformação. O fato é irreversível e que tais condições devem ser explicados em detalhes, pelos médicos; cirurgião e psiquiatra e recomendar um acompanhamento para o comportamento social dessa nova forma, para que seja bem aceita pela cabeça do transformado e que este se fortaleça na forma, trabalhando, partilhando das atividades inerentes a sua nova identidade psicológica e social, não havendo assim, uma busca de fuga com o suicídio o que seria uma vitória para o novo método empregado nessa transformação.

    Curtir

    • Fundamentados em que ? Eu te respondo: fundamentados na visão particular e ideológica dos grupos lgbt. Você apenas se denúncia ao afirmar que foram conservadores que endossavam a pesquisa sem nem mesmo mostrar provas disso. Ao contrário, sabemos que todos os pseudo- estudos que afirmam que existe gene gay, que homossexualismo é normal ou que alguém pode realmente ser uma pessoa normal quando se identifica com um gênero diferente do que a natureza o fez, são todos encomendados por ativismo gay. Ou como afirmou um cientista e famoso ativista gay, no final, é o ativismo gay que decide aquilo que será publicado em pesquisas sobre o assunto. Você apenas mede Os outros por sua régua. Não é preciso ser cientista para saber uma obviedade que na natureza só existem cromossomos X e Y e nada menos que 8 grandes estudos feitos em vários países inclusive com gêmeos provam que essa porcaria não tem nada de genético.

      Curtir

      • O “estudo” referido no O Globo é de pesquisadores mexicanos. Fico com o pessoal da Johns Hopkins, uma das melhores universidades do mundo e especificamente a Escola de Medicina é a melhor dos EUA. Contrapor isso com estudo mexicano parece brincadeira…

        Curtir

  3. Na verdade a homossexualidade também é um distúrbio mental, como já bem demonstrado pelo psiquiatra holandês Gerard Van Aardberg. Ele diz que geralmente homossexuais sofreram abuso na infancia, e que essas pessoas ficam presas num infantilismo psíquico, como se fossem crianças ou adolescentes. Já em outra fonte pesquisadores frequentaram ambientes gays como boates e bares e entrevistaram muitas pessoas homo que confirmaram te tem sido abusadas na infância. Muitos deles não se sentem confortáveis nessa situação e Se pudessem mudariam seu comportamento. Mas esse assunto é tabu no Ocidente, que passou da reprovação à quase veneração da homossexualidade. É patente que qualquer um Que abertamente dê sua opinião contra essa prática ainda que embasado em dados científicos, bem como também ocorre no caso dos transgeneros é vitima de perseguição pela patrulha do politicamente correto. Que o diga a Dra. Marisa Lobo.

    Curtir

    • É como diz o texto: “Os ativistas da causa transgênero não querem saber dos estudos que mostram que entre 70% e 80% das crianças que expressam sentimentos transexuais perdem espontaneamente esses sentimentos ao longo do tempo.”

      Em outras palavras, o comportamento transexual não é linear no tempo em todos os casos, aliais na maioria dos casos, podendo o equilíbrio químico cerebral mudar naturalmente e com mais pesquisas muda-lo através de remédios e terapia para as pessoas cujo o equilíbrio químico não muda naturalmente, que são a minoria, os que os olhos vêem.

      Seria o caminho mais fácil, mas isso não interessa não é?

      Ainda tem muita coisa para se pesquisar, esse assunto não é inerte como certos ativistas defendem e só defendem para esse caso, pois qualquer outra questão envolvendo o cérebro humano e possíveis tratamentos é liberado de ideologismos, porque será…?

      Curtir

    • Eu já li esse estudo de ressonância magnética, sou enfermeira e estudante de medicina. Esse estudo com uma amostra super pequena que os homossexuais masculinos são mais emotivos como as mulheres, que podem sentir mais medo como as mulheres, tipo de barata e etc, e outras coisinhas que já sabemos que os homossexuis se parece mais com mulheres que com homens e como sabemos que a anatomia costuma se moldar com o psíquico, o cérebo destes tbm adquirem algumas características que os assemelham mais ao feminino que ao masculino ( assim como o de lésbicas ao cérebro masculino) mas não torna o cérebro masculino em feminino e vice versa. Nada mais que isso!

      Curtido por 1 pessoa

      • ah,então vc que se diz estudante de medicina,está afirmando a baboseira machista que já foi derrubada por neurocientsitas sérios,em relação á sexos dos cérebros?Eu não dou chilique quando vejo barata,sou homem então? E assim como tem mulheres de vários tipos,existem homossexuais de vários tipo,os tidos “afeminados” o são por assim acreditarem que os comportamentos femininos que eles observam são naturais nas mulheres,a mesma lógica das performance de gênero de pessoas trans: imitam o que culturalmente acreditam ser masculino e feminino.

        Curtir

  4. O abstract do texto no link mencionado diz o seguinte:
    Abstract
    We investigated prospectively the effect of sex steroids on regional fat depots and thigh muscle mass in adult transsexuals. Ethinyl estradiol in combination with cyproterone acetate, a progestational antiandrogen, was given to 20 male-to-female (M-F) transsexuals, and parenteral testosterone esters were given to 17 female-to-male (F-M) transsexuals. Before and after 12 mo of cross-sex hormone administration, several anthropometric measurements (weight, skinfolds, body circumferences, and bioimpedance) were performed, and transverse magnetic resonance images were obtained at the level of the abdomen, hip, and thigh to quantify fat depots (subcutaneous and visceral) and muscle areas. We observed that treatment with ethinyl estradiol in M-F transsexuals induced a significant increase in all subcutaneous fat depots, with a lesser but proportional and significant increase in the visceral fat depot and a decrease in thigh muscle area. Testosterone administration in F-M transsexuals markedly increased thigh muscle area, reduced subcutaneous fat deposition at all levels measured, but slightly increased the visceral fat area. We conclude that sex steroid hormones are important determinants of the sex-specific localization of body fat.
    TRADUCAO:
    Nos investigamos prospectivamente o efeito de esteroides sexuais sobre as regiões de depósitos de gordura e massa muscular das coxas em adultos transexuais. Ethinyl estradiol em combinação com cyproterone acetato, um antiandrogeno progestacional, foi dado a 20 transexuais masculino-para-feminino (M-F) , e ésteres testosterona parenteral foi dado a 17 transexuais feminino-para-masculino. Antes e depois de 12 meses de administração de hormônios cross-sex, varias medidas antropométricas (peso, dobra de pele, circunferência do corpo e bioimpedância) foram feitas e imagens magnéticas transversas foram obtidas no nível do abdome, quadril e coxa para qualificar os depósitos de gordura (subcutânea e visceral) e áreas de musculo. Nos observamos que o tratamento com Ethinyl estradiol em transexuais M-F induziram um aumento significante em todos os depósitos de gordura subcutânea, com um menor, porem proporcional e significante aumento no deposito de gordura visceral e uma diminuição na área de musculo da coxa. A administração de testosterona em transexuais F-M aumentou marcadamente a musculatura da área da coxa, reduziu os depósitos de gordura subcutânea em todos os níveis medidos, mas aumentou levemente a gordura da área visceral. Nos concluímos que os hormônios esteroides sexuais são importantes determinantes da localização especifica da gordura corporal em cada sexo.

    Ou seja, o que isto tem a ver com o assunto?

    Curtir

  5. “Paul McHugh é um católico praticante. [8] De acordo com um artigo do New York Times 2002, ele é um democrata “que se descreve como religiosamente ortodoxa, politicamente liberal e culturalmente conservador – um crente em casamento e os fuzileiros navais, um defensor das instituições e os valores da família ” Tá explicado pq ele falou tantas asneiras, com relação a mudança de sexo podemos ventilar que a medicina talvez não tenha evoluído o suficiente para esse tipo de cirurgia, talvez exista ainda algumas falhas no refazer das terminações nervosas, sendo os distúrbios causados pela falta de sensações prazerosas !!!

    Curtir

    • Você não disse nada, porra nenhuma. Você não refutou nada dos estudos dele, apenas falou que suas pesquisas se baseiam em sua religião. Como se o argumento religioso fosse menos válido que o cientifico ou religião e ciência fossem incompatíveis. Não é necessário ser religioso para observar que distúrbios existem co o a anorexia e a transgenereidade. O que vó e quer é simplesmente romantizar e glorificar um distúrbio.

      Curtir

  6. Sou estudante de psicologia e desde o primeiro ano estudo sobre casos de transexualidade, a análise do Dr. McHugh colabora com o que já havia pensado.
    Achar que não é pertencente ao seu próprio corpo pode ser comparado a um conflito psicológico gerado em casos em que alguma pessoa sofre um acidente e perde algum membro, em muitos casos a pessoa ignora esta perda e vivencia uma espécie de ilusão acerca de que ainda tem aquele membro, gerando vários conflitos quando sua percepção a faz lembrar que seu membro foi perdido.
    O que diferencia no caso da transexualidade é que o indivíduo tem um membro, porém vive o conflito de que deveria (ou tem psiquicamente) um outro. Mas, como no caso de um membro perdido, o incentivado pelos médicos seria uma terapia para que o indivíduo reconheça que não tem mais o membro e que deve enfrentar a vida nesta realidade. Nunca se deve passar a afirmação de que o membro na verdade existe e que ele pode viver com este sentido. Isto geraria mais conflitos ainda.

    Curtido por 1 pessoa

  7. Sob o pretexto do respeito às diferenças, basta fazer uma reflexão calma sobre os últimos 50 anos, e sob a tutela do que é mais conveniente a determinados grupos, não causará nenhuma surpresa ver a pedofilia como opção de vida caso houver ‘consentimento’ da criança ou responsável, ou a amputação de membros para atender demandas de satisfação sexual ou de identidade, a proibição de usar termos como feminino ou masculino… entre outros… mas cabe aqui uma indagação: por que casais dito homoafetivos quando adotam uma criança, criam elas em acordo com o gênero sexual do mesmo? Ou seja: quando adotam um menino, o criam como tal… e quando adotam uma menina, a criam como uma menina… Difícil compreender isso.

    Curtir

  8. A questão da diversidade é multifacetada: cultural, psicológica , psiquiátrica, antropológica , sociológica e, sobretudo corretamente política , particularmente quando tratada sob a égide de um Estado Democrático e de Direito. A psiquiatria não é uma medicina curativa, portanto deve- se ampliar o expectro da Diversidade para atender todos os indivíduos que sofram de transtornos psiquiatriáticos à igualdade de inclusão social e cidadania.

    Curtir

  9. faltou ele levar em consideração que um possível fato fortemente desencadeante nos suicídios após a redesignação é o preconceito que os transexuais enfrentam após essa cirurgia. Não se suicidam, até onde tenho notícias, por arrependimento da cirurgia, mas sim por não aguentarem as pressões feitas pela sociedade que os vê e os trata como aberrações tal qual o doutor sugere em seu texto.

    Curtido por 1 pessoa

  10. Transtorno que pode tornar-se forte doença mental e crônica. A indústria farmacêutica e médica ganham muito com isso. Absurdo é com vem ocorrendo e o quanto partidos políticos, mídia e a hegemonia de dominação política sobre os poderes econômicos é capaz de fazer com as novas gerações. Tornar ou impor a esses adolescentes que se tornem doentes mentais, dependentes de alterações químicas e cirúrgicas para satisfazerem a alucinações e fantasias sexuais que julgam corresponder à felicidade. Se quer sabem nem o que é ser feliz, pois estão submersos em tanta carência gerada pelo consumismo e por todo tipo ideológico de bandidagem que se limitam a apenas produzir imagens distorcidas de si mesmo. Essa nova geração “livre” e sufocada de tanta imbecilidade vem sendo levada a decretar o próprio prazo de validade. Tempo de vida curto demais.

    Curtir

  11. Seria muito mais facil as pessoas aceitarem o que sao. Nao sei o que olhar no espelho e dizer, meu deus sou um homem no corpo de uma mulher. Por que afinal, o que e ser homem e mulher, mentalmente? Por que um odio tao grande no seu corpo ao ponto de mulita-lo? Por que nao aprender a viver com o corpo que tem? Como muitas pessoas fazem que tem problemas fisicos serios? Um trans que fez sua cirurgia, e que viveu em um genero diferente por 50 anos, infelizmente, seu dna vai continuar a dizer o seu genero real. Cortar o penis fora, colocar um penis, uma vagina, nao vai mudar o que a pessoa e.

    Curtir

  12. Concordo plenamente com o assunto abordado pelo dr. é o msm que por chifre em cabeça de cavalo, nada a ver. Agora sobre a opção sexual de cada um não nos cabe o ser humano é livre

    Curtir

  13. Assunto polêmico que gera muitos pensamentos diferentes, muitas discussões e poucas conclusões. Lí o artigo publicado aqui, o Fantástico da Rede Globo vai tratar sobre o tema nos próximos tempos e o assunto “relativamente novo” tem despertado curiosidade nas pessoas que tem opiniões divergentes. Muitos fatores envolvem a transgeneridade que vão das análises mais fundamentadas até as menos fundamentadas. Talvez eu escreva sobre o tema no meu Blog.

    Curtir

  14. Para qualquer pessoa que estuda sexo biológico sabe que ele é determinado por cromossomos, genes, gonadas, hormônios e genitais internos e externos!
    Só cromossomo sozinho não faz nada, não é atoa que existam mulheres com Morris (XY), mulheres com sexo reverso (quando há até presença de útero e cromossomos XY), homem com sexo reverso XX,entre outros, o que mais temos são exemplos, casos de mosaicismos (XX/XY), XXY, XYY, XXX, XO entre outros.
    E quando a gente vai avaliar o sexo de alguém, seja uma pessoa intersexo ou trans (no caso de muitas discussões) levasse em consideração uma somatória de valores que envolvem genótipo, fenótipo, genitais, psique e social, agora uma pessoa trans tem todas as características femininas e só por um genótipo vai deixar de ser considerada mulher? É no mínimo muita ignorância em pleno século XXI com todas as informações que temos hoje!
    Não adianta ser XY se não tiver testosterona não vai ter masculinização, não adianta ser XX se não tiver estrogênio, estudando esse fenômeno percebido nas pessoas intersexuais que se começou a trata as pessoas trans.
    “O comissário para os Direitos Humanos, Nils Muiznieks, denunciou a “situação inaceitável” que existe na Europa, onde muitas vezes “crianças intersexuais passam por cirurgias e tratamentos médicos que não são necessários”, vítimas do “clima de mal-entendido” que cerca sua situação.
    Segundo estimativas da pesquisadora norte-americana Anne Fausto-Sterling, cerca de 1,7% das crianças nascidas com características “intersexuais”, dotadas ao mesmo tempo, por exemplo, de ovários e testículos, ou com equilíbrios hormonais que não permitem determinar claramente se são do sexo masculino ou feminino.”

    Curtir

  15. Queria ver esse artigo que ele cita na integra, porque inúmeros estudos envolvendo as pessoas trans mostram que a transição alivia todos os sintomas da disforia de gênero e a cirurgia não é realizadas em todas as pessoas trans só as que tem realmente a necessidade, aquelas que a disforia atinge esse ponto. Na pesquisa porque sou pesquisadora e trabalho com gênero e sexualidade de pessoas trans e intersexo, e também por ter a vivencia trans sendo uma pessoa intersexo não presenciei um caso de pessoas que se arrependeram da cirurgia, nem mesmo eu, pelo contrario, o que aconteceu muito no passado quando iniciou essa cirurgia ela era realizada em pessoas travestis e pessoas trans que não queriam a cirurgia e a faziam apenas para agradar alguém ou conseguir a documentação hoje com os avanços na área do direito a cirurgia não é mais necessária para a mudança dos documentos e a pessoa pode viver plenamente sua sexualidade com dignidade. As crianças trans são são obrigadas a nada e nem recebem hormônioterapia, só são recomendados nos casos que a disforia é intensa a transição social, na puberdade o bloqueio e a hormônio terapia é inciada apenas entre 14 ou 16 anos a coisa não é oba oba não. E pelo que sei dos ativistas intersexos e trans dos EUA ele não está mais lá justamente porque não consegue separar as suas crenças religiosas de sua profissão é isso é anti ética, então só trabalha com sexualidade e transexualidade quem consegue separar, nada mais justo. O ideal para analisar uma pessoa trans é ouvindo-a uma pessoa trans é assim, é obvio que uma pessoa cis não vai entender o que é ser trans pois está confortável com seu gênero e seu sexo o que não se passa com a pessoa trans que é uma condição que seu cérebro e sua identidade é contraria ao genital. Lembrando que este medico era a favor de cirurgias precoces intersexo, ou seja, intersexo pode ser operado sem consentimento e trans que tem condições de falar seu gênero não pode? Os estudos sexuais dizem que tanto as pessoas trans quanto as intersexuais devem ser ouvidas e suas identidades respeitadas para que possam fazer seu tratamento com dignidade, da mesma maneira que toda pessoa cis e diádica (caso de vcs) tem o direito a saúde.beijos e boa noite

    Curtir

  16. Discussão ultrapassada , digna de países do terceiro mundo, ou seja, subdesenvolvido.

    Homossexualidade e Transgênero ss são coisas diferentes.

    Falando nisso, toda raiva e preconceito acabam quando de tem um filho gay, assim como um filho drogado.

    Curtir

  17. Além do analfabetismo funcional rolar solto nos comentários,existe uma profunda ignorância em relação á socialização de gêneros.Junta isso com o “politicamente correto” que alega “cada um faz o que quer/o que faz feliz”.Tudo é aceitável,tudo é normal,tudo é “divesidade”.Não existia esa pressão para crianças trancisionarem na minha infância,se existisse,provavelmente iriam me convencer que eu era homentrans,por ser contra a opressão da feminlidade.É esse o centro assunto: vc não se conformar com papéis de gênero não quer dizer que vc quer ser o outrop sexo,é tudo incucação/pressão,por isso muitos se arrependem depois de transicionar.Nem sei porque mencionaram homossexualismo,que não tem p* nenhuma a ver com performance de gênero ( a base da teoria do transativismo,tanto que tem homem heterossexual que se diz mulhertrans,se dizem “lésbicas”).Imaginam,um homem que se diz mulher gostar de mulheres,gays são assim?
    Sacaram agora ou eu tenho que fazer uns desenhinhos? Mas é cômico ver gente vindo aqui com “ar de intelectual” escrever textão pretencioso que não diz bosta nenhuma…só rindo mesmo.

    Curtir

  18. Bando de imbecis, mal informados e sem estudos. Se, por acaso, tiverem algum, espero que não tenham futuro, pois ninguém precisa de mais médicos, psiquiatras, psicólogos ou até qualquer cidadão, que não quer compreender o próximo porque isso o trás algum incomodo. São inseguros, tanto que, em pleno século XXI argumentam com bases religiosas e/ou naturais. Para começo de conversa, essa história de que um órgão genital corresponde a um determinado gênero e a partir disto, um comportamento é ilógica, TOTALMENTE CRIADA PELA SOCIEDADE. Comportamentos, vestimentas, nada disso faz alguém ser homem ou mulher. O sexo só determina o seu papel com relação à reprodução da espécie e suas características físicas. Deus ou o acaso/natureza/universo/a porra que for, criou o ser humano. Um com vagina e seios e outro com pênis e sem seios. Homem e mulher, macho e fêmea, órgão masculino e feminino, FOI SIM, CRIADO PELA SOCIEDADE. Quem não aceita isso, das duas, uma, ou é inseguro quanto à correspondência imposta de seu gênero (“homem, mulher”) e seu sexo (“masculino, feminino”) ou é burro para caralho mesmo. Para quem acredita que Deus criou Adão e Eva, homem e mulher, não perderei meu tempo com asneiras deste ponto. Quando nascemos, nos é designado um gênero masculino ou feminino, por conta de uma genitália que também foi imposta de corresponder a um gênero masculino ou feminino. Se você é mais um que enche a boca para falar, embasado em achismo, religião ou apenas um artigo visto na net, fora aqueles desprovidos de cérebro que conseguem confundir ainda, os termos orientação sexual (não é opção) e identidade de gênero (não é opção/escolha), fica calado. Você não sente na pele. Você nunca entenderá o que eles sentem.

    http://consciencia.blog.br/2013/06/daniela-andrade-sobre-a-obrigatoriedade-de-terapia-psicologica-para-pessoas-trans-mudarem-de-sexo.html#.WSL1ANy1uM8

    Curtir

  19. Homosexuais como sempre são assim, quando encontram algo divergente á sua promiscuídade, agem logo em querer atacar. ” Não é pelo fato de se fazer sexo com seu orgão excretor, que você tem que se sentir um Semi-Deus, melhor que os outros.” É uma pena os meios atuais apoiar este tipo de comportamento e considerar preconceituosa a pessoa que pensa diferente. Quanta demagogia, falam da Bíblia, vão a igreja e agem contra ela. Por isso que sofremos, por que vivificamos Babilônia.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s